Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


Com a morte de Heraldo Cabral, Santa Maria perde a maior referência do esporte amador local.

A manhã da última segunda-feira (13/6) foi de tristeza para os desportistas de Santa Maria ao receberam a notícia de que a sua maior liderança havia deixado para sempre a “beirada” dos campos, principalmente do futebol amador da cidade. Heraldo deixa um legado de que, para proporcionar momentos de lazer não precisa muito, apenas boa vontade e amor naquilo que se propõe a fazer.

Foto - Fabrício Marinho - Achei Santa Maria

Os finais de semana jamais serão os mesmos para o futebol amador de Santa Maria, principalmente para aqueles que eram acordados religiosamente antes das 5h da manhã para começarem os preparativos visando um final de semana recheado de bons jogos e confraternização entre amigos. Muitas vezes os finais de semana eram pequenos para o tamanho empenho desse grande líder que marcou uma geração e tem sua página escrita na história de Santa Maria. Assim se destacou o líder comunitário e desportista nato Heraldo Gomes Cabral que faleceu na manhã da última segunda-feira (13) aos 63 anos, vítima de complicações causadas por um infarto. Após vários dias de internação lutando pela vida, Heraldo descansou e deixou órfã uma legião que o admirava há mais de 30 anos.

Pioneiro no futebol da cidade, Heraldo foi um dos fundadores e segundo presidente da Liga de Futebol Amador de Santa Maria, recebendo a missão das mãos do então presidente Rui Lopes. Até os dias atuais, Heraldo só passou o bastão por duas vezes, entre elas para a atual diretoria. Mesmo assim, sempre esteve presente acompanhado o dia-a-dia do esporte da cidade, opinando nas decisões tomadas pela atual gestão devido a sua vasta experiência, além participar ativamente do futebol amador, pois estava à beira dos campos religiosamente em todos os jogos, fossem durante ou nos finais de semana, lá estava o Heraldo acompanhando de perto e dando sua orientação para a melhoria do esporte em Santa Maria.

Socorro Cabral, Heraldo, Josefa Silva (Madrinha) e José Jorge 
Década de 90 em reunião da Liga de Esporte Amador - Foto Arquivo Pessoal

Atualmente Heraldo ocupava o cargo de Gerente de Esporte e Lazer da Administração Regional da cidade, de onde sempre procurou atender as demandas do esporte local. Foi na gerencia que após vários anos conseguiu junto a executivo a reforma do campo sintético da QR 409, emenda proposta por uma distrital. Antes, porém, viu realizado o sonho da construção daquela estrutura ainda no governo Arruda, aonde após bater à porta de várias autoridades políticas e administrativas da época, enfim conseguiu fazer com que vários “peladeiros” da cidade deixassem de jogar em campos de terra batida e realizarem seus jogos no conforto de uma grama sintética. Daí começaram outras lutas, pela iluminação, construção de vestiários e arquibancadas e pôr fim a reforma do campo. É claro que todas essas conquistadas só se tornaram realidade com o esforço conjunto de várias pessoas e segmentos, mas com a participação ferrenha de Heraldo. Por estes e outros motivos a CLDF deverá aprovar uma lei proposta por uma parlamentar local que dará o nome do campo sintético da QR 409, que será chamado de Estádio Heraldo Gomes Cabral, em homenagem a esse líder que se tornou referência do esporte de Santa Maria.

A história de Heraldo no esporte local foi além de simplesmente “cuidar” do futebol amador. Atualmente ocupava o cargo de vice-presidente da Sociedade Esportiva Santa Maria, time profissional que ajudou na fundação e que atualmente disputa o campeonato candango. Por meio de sua rede social, o clube externou sua tristeza pelo falecimento de Heraldo. “Ao lado do amigo e parceiro Erivaldo Alves, Heraldo Cabral foi idealizador da criação da Sociedade Esportiva Santa Maria em 2000. Apaixonado por futebol, Cabral foi presidente da Liga de Futebol Amador de Santa Maria por 23 anos, promovendo o esporte local e fomentando ações de combate às drogas e criminalidade. A Sociedade Esportiva Santa Maria decreta luto oficial por cinco dias e oferece solidariedade à família neste momento de dor. ”

Cortejo em carro aberto CBMDF - Foto Fabrício Marinho - Achei Santa Maria

A despedida de Heraldo aconteceu na tarde da última terça-feira (14) e recebeu honras do nível que foi a sua importância para Santa Maria. A partir das 12h30min o cortejo com o corpo saiu da sede do Corpo de Bombeiros e percorreu as principais avenidas da cidade até o campo sintético da QR 409, local do velório. No trajeto o cortejo era saudado por populares que sabia da importância do líder para a cidade.

No local do velório centenas de pessoas participaram da despedida a Heraldo. De acordo com o que publicou o site de notícias Achei Santa Maria, o velório foi o “último jogo da sua vida. No gramado que ele tanto lutou pela revitalização todos puderam ver pela última vez o homem que foi um pilar do futebol de Santa Maria. Familiares, autoridades, ex-administradores, lideranças comunitárias e muitos amigos estiveram presentes para prestar essa justa homenagem. ”

Foto Fabrício Marinho - Achei Santa Maria

A urna com o corpo de Heraldo, coberta com as bandeiras dos seus clubes de coração, C.R. Flamengo e S.E. Santa Maria, estava alocada à frente da arquibancada de onde as centenas de pessoas puderam acompanhar a cerimônia de despedida que contou com a realização de uma missa realizada por um pároco local.

Além dos familiares, amigos e admiradores, várias autoridades participaram da cerimônia fúnebre, entre as quais o ex-distrital e amigo Wasny de Roure. Segundo Wasny, “Heraldo representou o melhor para Santa Maria e a sua ausência fará falta não somente para os desportistas e sim para todos aqueles que o conheceram e sabiam da sua capacidade de cultivar boas amizades. ”

“Heraldo representou o melhor para Santa Maria e a sua ausência fará falta não somente para os desportistas e sim para todos aqueles que o conheceram e sabiam da sua capacidade de cultivar boas amizades. ”

Bastante emocionado o ex-administrador da cidade Neviton Pereira da Silva (Néviton Sangue Bom) falou da importância de Heraldo para Santa Maria e do vazio que ficará após a sua partida. “Ele foi importante para a nossa história em vários segmentos se destacando no esporte, sua maior paixão. Tive a honra em conviver com esse grande homem durante uma parte da história desta cidade, além de ser chamado de seu amigo. O Heraldo será lembrado por todos como exemplo de homem, pai, amigo e grande liderança. ”

Foto Fabrício Marinho - Achei Santa Maria

“Ele foi importante para a nossa história em vários segmentos se destacando no esporte, sua maior paixão. Tive a honra em conviver com esse grande homem durante uma parte da história desta cidade, além de ser chamado de seu amigo. O Heraldo será lembrado por todos como exemplo de homem, pai, amigo e grande liderança. ”

A cerimônia fúnebre no campo sintético encerrou com a soltura de balões brancos e salva de palmas. Em seguida o corpo seguiu para o cemitério Campo da Esperança do Gama onde foi sepultado às 16h, sob aplausos, após outra pequena cerimônia proferida por um pastor evangélico, no mesmo túmulo em que está sepultada sua esposa Socorro Cabral, falecida há pouco mais de um ano.

Homenagem da Federação Brasiliense de Futebol

Em reconhecimento ao que Herivaldo fez pelo futebol de Santa Maria e a sua importância para o esporte do Distrito Federal, a Federação Brasiliense de Futebol decidiu prestar homenagem colocando o nome de Heraldo no troféu do 26º Campeonato de Futebol Profissional do Distrito Federal da Segunda Divisão - 2022.


Confira a nota:

"Heraldo Cabral sempre foi um batalhador pelo futebol da cidade de Santa Maria e, consequentemente do Distrito Federal. Nos anos 2000, ao lado de Erivaldo Alves, foi idealizador da Sociedade Esportiva Santa Maria, que hoje faz parte da Primeira Divisão do futebol do DF.

Apaixonado por futebol, Heraldo sempre se dedicou em promover e unir atletas, quando há 23 anos, presidia a Liga Amadora de Futebol da cidade de Santa Maria, com o objetivo máximo de fomentar o combate às drogas e a criminalidade na região.

Portanto, nada mais do que justo, ser valorizada e eternizada esta história, colocando o nome de Heraldo no troféu do 26º Campeonato de Futebol Profissional do Distrito Federal da Segunda Divisão - 2022.

Assim sendo, por iniciativa do presidente Daniel Vasconcelos, fica a homenagem a Heraldo Cabral, que, vítima de complicações de saúde após sofrer um AVC, nos deixou com 63 anos."

Fonte - Agência Satélite

 

Nenhum comentário




Latest Articles