Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

CAMPANHA - COMBATE A DENGUE


Em caso raro, magnata acusada de fraude de R$ 136 bilhões é condenada à morte no Vietnã

Empresária Truong My Lan está presa desde outubro de 2022 por suspeitas de aplicar golpe em mais de 40 mil pessoas

Por AFP — Hanói

Truong My Lan durante julgamento de acusação de fraude no Vietnã — Foto: AFP

Um tribunal no Vietnã condenou à morte uma magnata do ramo imobiliário nesta quinta-feira, por um dos maiores casos de fraude do país, com danos estimados em US$ 27 bilhões (R$ 136 bilhões, na cotação atual). O júri rejeitou todos os argumentos da defesa de Truong My Lan, executiva da imobiliária Van Thinh Phat, acusada de cometer crimes e prejudicar o Saigon Commercial Bank (SCB) ao longo de uma década.

"As ações dos acusados ​​(...) minaram a confiança do povo na liderança do Partido (Comunista) e do Estado", afirmou a decisão do júri, noticiada pela imprensa estatal.

A empresária está presa desde outubro de 2022. Além de Lan, houve outros 85 réus no caso, incluindo ex-chefes de bancos, ex-funcionários do governo e ex-executivos do SBC. O julgamento ocorreu durante cinco semanas no sul da cidade de Ho Chi Minh.

Lan e os outros 85 foram acusados ​​de crimes que vão desde suborno e abuso de poder até apropriação indébita e violação das leis bancárias. A empresária supostamente desviou US$ 12,5 bilhões, mas os promotores disseram na quinta-feira que os danos totais causados ​​pelo esquema chegam a US$ 27 bilhões, o equivalente a 6% do PIB do Vietnã em 2023.

A empresária negou as acusações e culpou os subordinados pelo ocorrido. Ela e os outros réus foram presos como parte de uma campanha nacional contra a corrupção.

Em sua declaração final ao tribunal na semana passada, ela sugeriu que havia pensado em suicídio. "Em meu desespero, pensei na morte", declarou Lan, segundo a mídia estatal. "Estou com tanta raiva por ter sido estúpida o suficiente para me envolver neste ambiente de negócios cruel, o setor bancário, sobre o qual tenho pouco conhecimento".

A aplicação da pena de morte é comum no Vietnã em casos de tráfico de drogas, mas é rara em crimes financeiros. As estatísticas sobre a pena capital são segredo de Estado, mas, segundo a Anistia Internacional, são realizadas “numerosas” execuções todos os anos no país.

"De acordo com a promotoria, Truong My Lan desempenhou o papel de mentora, mas não admitiu seu crime, foi teimosa, criticou seus subordinados e não expressou nenhum arrependimento", informou o jornal Tuoi Tre, acrescentando que os outros réus confessaram sua participação no crime.

Truong, presidente da imobiliária Van Thinh Phat, é acusada de cometer um golpe contra mais de 40 mil pessoas, entre 2012 e 2022, por meio de um esquema de empréstimos do Saigon Commercial Bank (SCB), controlado em 90% pelo seu grupo.

A magnitude do escândalo levou centenas de pessoas a se manifestarem na capital Hanói e na cidade de Ho Chi Minh, num dos poucos protestos tolerados no país comunista.

Nenhum comentário




Latest Articles