Se já estava ruim...

Insatisfação pode ter sido a justificativa para a população de Novo Gama não eleger nenhum candidato para a assembleia legislativa do estado. Sônia Chaves também não passou pelo crivo dos eleitores e também amargou a derrota nas urnas.


 Novo Gama - Sem receberem votação expressiva capaz de se elegerem deputados estaduais, os cinco candidatos com base eleitoral no Município, amargaram a decepção de não despontarem no cenário estadual.

O Satélite Notícias fez um levantamento das eleições no município e detectou outros fatos curiosos ao final da apuração na noite do dia 05 de outubro; como por exemplo, a votação da deputada e candidata à reeleição Sônia Chaves - PSDB que obteve pouco mais de 10 mil votos em sua base eleitoral e quase 11 mil votos fora do seu domicílio, totalizando 23.099, alcançando apenas uma quarta suplência, mas que sai das eleições ostentando uma amarga derrota por não ter reconhecimento da população que em outras eleições depositaram maior confiança em seu nome, pois, dos quase 39 mil votos da eleição passada, obteve apenas 60% e ainda responde uma série de acusações do Ministério Público por supostos desvios de recursos na época em que ocupava o cargo de prefeita do município. Por fim, Sônia Chaves viu seu castelo desmoronar e ter sepultado o seu sonho de permanecer na Assembleia Legislativa do Estado ao ver sua ex-aliada e hoje adversária política Leda Borges - PSDB, eleita com expressiva votação em Novo Gama.

Outro fato curioso foi a votação dos dois candidatos do PPL e PHS, Narciso Pereira e José Pacífico Neto, com 5.789 e 2.553 respectivamente. Ambos encenaram um duelo típico de campanha para o governo. A guerra política entre os dois candidatos iam de acusações a depredação de material de campanha. Foi uma campanha acirrada, onde disputaram cada eleitor. Os cabos eleitorais elevaram o tom da campanha e havia uma disputa para saber quem seria melhor votado na cidade. Se consagrou o vereador e candidato Narciso, no entanto, distante de qualquer suplência, pois as legendas não elegeram nenhum candidato. Por falar em Narciso, que foi o candidato do prefeito Everaldo Vidal, apesar de possuir uma das campanhas mais organizadas entre os demais, inclusive tendo a sua candidatura divulgada em mais de 28 municípios do Estado, além do apoio dos praças da Polícia Militar de Goiás e necessitando apenas de aproximadamente 15 mil votos, não conseguiu uma votação que pudesse leva-lo para a Assembleia Legislativa do Estado. Hoje, ao retornar para a Câmara de Vereadores do município, local onde ocupa o cargo de presidente até o próximo dia 31/12, tem como consolo, conseguido massificar o seu nome no cenário político da cidade, bem como receber uma votação dez vezes superior a quantidade de votos de quando se lançou candidato a vereador na eleição anterior. “Hoje sou um candidato de 5 mil votos em Novo Gama”, diz satisfeito.

De acordo com Narciso, sua campanha foi feita por amigos e colaboradores próximos que, segundo ele, “se dedicaram de corpo e alma pelo proposito da sua eleição”. “A minha campanha foi patrocinada por companheiros, tais como o prefeito Everaldo - PPL, o candidato a deputado federal Eurípedes Júnior – PRÓS e outros tantos companheiros que de alguma forma contribuíram por apostarem no nosso projeto. Quero agradecer aos nossos companheiros pela dedicação que dispuseram na campanha”, finalizou.

Os outros dois candidatos Laodicéia Dourado e Carlinhos do Mangão, tiveram cada um 1.904 e 4.356 respectivamente. Para Laodicéia, o que faltou na campanha foi maior apoio por parte de companheiros que se diziam estar ao seu lado. “Saí candidata apostando em um sonho de ver o crescimento da nossa cidade, bem como após ouvir inúmeros companheiros que ao final não puderam honrar seus compromissos em apoiar a nossa candidatura. Apesar de tudo estou satisfeita com o resultado das urnas, pois fizemos uma campanha limpa, praticamente sozinhos e sem recursos financeiros e assim mesmo tivemos uma resposta positiva nas urnas”, disse a vereadora.

Outro que pode se considerar vitorioso é o suplente de deputado federal Eurípedes Júnior que teve mais de 4,5 mil votos na cidade, sendo um dos mais votados no município, bem como foi em Novo Gama a segunda cidade onde o candidato teve o maior número de votos, a primeira foi o seu reduto eleitoral Planaltina de Goiás.


 Vaidade 

A queda de braços entre adversários políticos, já demonstrou ao longo dos tempos que é movida pela inveja e arrogâncias. As críticas fazem parte do papel da oposição, mas é um perigo quando torna-se uma vocação, podendo levar ao suicídio político aqueles que adentram nela. Por que isso? Porque vemos a importância de termos deputados eleitos e que morem em nossa cidade, isso para a população de todas as cidades está acima de qualquer vaidade. Novo Gama hoje tem uma população com quase 110 mil habitantes e destes, apenas aproximadamente 50 mil são eleitores. 

A cidade tem capacidade de eleger até 2 deputados estaduais e facilmente um federal e ainda, ajudar a eleger outros candidatos que virão de fora garimpar votos e podem ser parceiros. No entanto, se continuar as brigas entre oposição e situação e as divergências internas dos grupos, no próximo pleito, novamente todos irão morrer na praia.

Os candidatos devem entender que o eleitor não está preocupado com a legenda do partido, mas com quem tem a responsabilidade de trabalhar pela cidade. Mais recentemente, a vaidade de pessoas que saíram candidatas a deputados estaduais em Novo Gama, apenas contribuiu para que a cidade perdesse pelo menos uma vaga que tinha certa na Assembleia Legislativa de Goiás e contribuiu para que a cidade tenha um espaço insignificante por 4 anos no cenário político a nível estadual.

O que a sociedade, entidades e até mesmo candidatos tem que defender é uma “aliança entre os políticos de Novo Gama”, cujo interesse seja o crescimento da cidade e comprometimento com o povo, pois essa é tarefa principal. Infelizmente existem pessoas que insistem em não sair do palanque e fazem do bate-boca que trocam, o oxigênio para seus próprios egos e o alimento para suas vaidades. Nessa briga quem perde é o povo.Enquanto esses grupos de eternos candidatos “derrotados” não se definirem politicamente com o objetivo de somar, Novo Gama irá continuar dependente politicamente de outros segmentos políticos.

Postar um comentário

0 Comentários