Polícia do DF cumpre 77 mandados de prisão por dia desde janeiro

Foram 422 casos até esta quinta; ação prendeu 25 pessoas nesta manhã. Delegado diz que há mais de 7 mil mandados a cumprir por falta de efetivo.

Presos em cumprimento de mandado judicial no Departamento de Polícia Especializada (DPE) (Foto: Isabella Formiga/G1)

A Divisão de Capturas da Polícia Civil (DCPI) do Distrito Federal cumpriu 422 mandados de prisão decorrentes de sentenças condenatórias criminais expedidas pela Justiça desde janeiro até esta quinta-feira (11), uma média de 76,7 casos por dia. Ao todo, foram 714 mandados, incluindo 292 por falta de pagamento de pensão alimentícia.
Vamos fazendo dentro da capacidade de efetivo que a polícia possui. Estamos conseguindo um bom resultado, se for analisar o quantitativo de servidor e a quantidade de mandados cumpridos"
Antônio Dimitrov,
delegado da DCPI

Segundo o titular da DCPI, Antônio Dimitrov, há mais de 7 mil mandados de prisão em aberto, mas não há agentes suficientes para atender a demanda.

“Vamos fazendo dentro da capacidade de efetivo que a polícia possui. Estamos conseguindo um bom resultado, se for analisar o quantitativo de servidor e a quantidade de mandados cumpridos", diz. “Procuramos dar prioridade para mandados mais graves, mas a quantidade pendente, dentro da realidade do Brasil, é muito grande, então trabalhamos com o volume de mandados que vai chegando e vamos correndo atrás."

Segundo Dimitrov, as operações de cumprimento de mandados são sistemáticas e ocorrem toda semana. Na manhã desta quinta-feira (11), a delegacia cumpriu 25 mandados de prisão. A maior parte foi por crimes como porte de arma de fogo, estelionato e tráfico de drogas. Quatro pessoas foram presas por falta de pagamento de pensão alimentícia – um dos detidos devia R$ 50 mil.


Um dos presos, de 51 anos, é ex-goleiro do time de futebol do Ceilândia e chegou a se candidatar a deputado distrital em 2010. Ele foi detido por lavagem de dinheiro e tentou fugir da polícia se escondendo no canil do vizinho. O ex-atleta tem passagens por outros crimes e estava foragido havia um mês.

Prisões
A ação deteve oito pessoas por assalto à mão armada, dois por estelionato, dois por tráfico de drogas, três por porte de arma de fogo, três por receptação, um por lavagem de dinheiro e outro por lesão corporal e ameaça. Duas mulheres condenadas por tráfico de drogas e receptação também foram recolhidas. Um homem detido por homicídio era foragido de Goiás.

“A gente direcionou esses 21 mandados na área de Ceilândia porque recebeu a solicitação informando de que havia um movimento de aumento da criminalidade na região. Direcionamos para lá porque costuma impactar positivamente”, disse. “Oito criminosos, como receptadores e assaltantes, foram presos.”

As outras prisões foram realizadas em Planaltina, Samambaia, Vicente Pires, Sobradinho, Samambaia, Recanto das Emas e Gama.



Acusado de lavagem de dinheiro, ex-goleiro do Ceilândia é preso no DF

Ao perceber a aproximação dos agentes, ele teria pulado o muro da casa e tentado se esconder em uma casinha de cachorro do lote vizinho



Serjão foi goleiro e presidente do Ceilândia Esporte Clube
Um ex-goleiro do Ceilândia Esporte Clube está entre os presos durante uma ação realizada por agentes da Divisão de Capturas de Polícia Interestadual (DCPI), da Polícia Civil, nesta quinta-feira (11/6). Sérgio Luis Lisboa, conhecido como Serjão, também já exerceu o cargo de presidente do clube e, inclusive, foi candidato a deputado distrital em 2010. Ele é acusado de lavagem de dinheiro.



De acordo com informações da Polícia Civil, ele foi detido em Vicente Pires. Ao perceber a aproximação dos agentes, ele teria pulado o muro da casa e tentado se esconder em uma casinha de cachorro do lote vizinho. Serjão possui passagens anteriores pela polícia por lavagem de dinheiro, estelionato e formação de quadrilha.

Ação

Ao todo, 21 pessoas foram presas em cumprimento de mandados de prisão condenatórios por crimes como homicídio, roubo e estelionato. A ação contou com a participação de 20 equipes da Polícia Civil e 80 policiais.



Fonte - G1/DF

Postar um comentário

0 Comentários