Agefis e Seops derrubam ao menos 20 casas em área pública no DF

Sete famílias conseguiram liminar judicial para permanecer no local. Choque foi chamado para dar apoio à operação; ninguém foi preso.

Fogo aceso por moradores para impedir acesso de fiscais (Foto: Gabriel Luiz/G1)

A Subsecretaria da Ordem Pública e Social (Seops) e a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) derrubaram nesta quinta-feira (30) cerca de 20 casas construídas em uma área pública entre Taguatinga e Samambaia. Moradores do local fizeram barreiras de fogo com entulho para tentar impedir a remoção. Ninguém foi preso.
saiba mais
Agefis faz operação em área invadida em Brazlândia, no DF
Ação da Agefis apreende 5 reboques publicitários no Lago Sul, em Brasília
Ação da Agefis derruba 11 casas em área pública no Altiplano Leste, no DF
Polícia indicia auditores da Agefis e do Ibram por corrupção passiva

Nesta quarta, a Seops já havia retirado cerca de 30 famílias do setor. “É uma área de proteção ambiental. Os grileiros vendem o terreno e essas pessoas vêm ocupar”, disse o major Antônio Viegas, da Seops. “Hoje eles sabiam que iríamos fazer uma operação e já articularam a resistência.”

O Batalhão de Choque da Polícia Militar foi mobilizado para dar suporte à operação. Ao todo, 70 militares trabalharam no local. Além dos policiais, a ação contou com servidores do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), do Corpo de Bombeiros, do Conselho Tutelar, da CEB e da Caesb, responsáveis por retirar das residências todas as instalações irregulares.

Batalhão de Choque da PM apaga fogo para remover moradores (Foto: Gabriel Luiz/G1)

Sete famílias conseguiram decisão provisória na Justiça para permanecerem no local. Moradores relataram ter de pagar cada um R$ 1,5 mil para conseguir cobrir os custos com advogados.

Aqui é tudo renda baixa, mas ninguém derruba as casas no Lago Sul. Lá eles têm dinheiro. Tenho sete filhos em casa e querem derrubar a minha"
Letícia Silva, dona de casa

“A gente vai deixar as famílias que tiverem liminar. As que não tiverem, a gente derruba”, afirmou o auditor da Agefis Flávio Monteiro. “Se derrubarem algumas e outras ficarem, nós mesmos vamos derrubar as outras”, protestou um morador durante a remoção.

A dona de casa Letícia Silva vivia no local há um ano. “Aqui é tudo renda baixa, mas ninguém derruba as casas no Lago Sul. Lá eles têm dinheiro. Tenho sete filhos em casa e querem derrubar a minha”, disse a mulher, que já presenciou quatro derrubadas.

“Vão demolir nossas casas, mas essa região não vai servir para nada”, reclamou outra moradora, Angélica Silva. Um fiscal da Agefis que não quis se identificar disse que a área é de “interesse social” e pode virar uma escola ou uma praça pública, caso a região seja regularizada.

Trator derruba casa entre Samambaia e Taguatinga (Foto: Gabriel Luiz/G1)

O servente de obras Franciso Araújo afirmou que a casa dele já havia sido removida em maio. “Derrubaram tudo, tive que reconstruir de novo. Gastei R$ 10 mil”, afirmou. “Tenho que lutar todo dia para trabalhar. É doído, chorei demais. Mas é melhor construir [em local irregular] do que morar na rua.”

Fonte - Jornal de Brasília
Leia também em www.agenciasatelite.com.br

Postar um comentário

0 Comentários