Quem vai se arriscar combater crime recebendo R$ 1,5 mil?


A expectativa com o anúncio de um novo concurso público para a Segurança Pública acabou gerando enorme frustração. O ‘balde de água fria’ ocorreu devido o governador Marconi Perillo (PSDB) anunciar que o concurso terá exigência de nível médio e os novos policiais terão salários em torno de R$ 1,5 mil. Os salários achatados e a não exigência de curso superior é uma forte regressão na política de Segurança Pública em Goiás.

Atualmente, exige-se de um policial militar formação superior e, por isso, tem vencimento inicial acima de R$ 3,5 mil. Para que a nova categoria seja criada, o governo estadual enviará para a Assembleia um projeto de lei criando o soldado de 3ª classe, apenas com exigência de nível médio e com salário achatado. Pior, qualquer progressão só será possível após cinco anos de serviços prestados ao Estado. A situação se repete no certamente para agentes da Polícia Civil.

Quem é que vai se arriscar colocar a vida em risco no embate contra criminosos por um salário vergonhoso? Como fica o princípio da isonomia no serviço público com uma mesma categoria, exercendo a mesma função, ter vencimentos distintos?


Fonte - Goiás Real

Postar um comentário

0 Comentários