BRT – Uma bagunça sem fim

Cansados de serem tratados sem o menor respeito, usuários do BRT fazem manifesto afim de pressionar os órgãos competentes para que criem mecanismos de organização, visando o embarque e desembarque de passageiros nas principais estações. Em Santa Maria, o embarque de passageiros está transformado em caos, aonde passageiros não respeitam filas, bem como assentos reservados são ocupados por pessoas comuns. Ainda há casos em que os ônibus não estarem com o ar condicionado funcionando e, por não abrirem as janelas, o sofrimento ainda é maior. “É inadmissível sermos tratados como animais. Estamos esquecidos pelo governo e empresa que só estão visando lucros, uma vez não nos deram segunda opção. Assim, decidimos criar um abaixo-assinado a fim de pressionar os órgãos competentes para que organizem as filas nos terminais do BRT”, disse o estudante Mike Vinicius, morador de Santa Maria.
Todos os dias, principalmente na rodoviária do Plano Piloto, crianças, idosos e outras tantas pessoas, são pisoteadas no embarque em horários de pico. Muitos especialistas afirmam que a falta de organização transforma o funcionamento do BRT em um dos piores (se não o pior) modelos de transporte já utilizado no DF. Exemplo disso é o que acontece rotineiramente não somente na estação central e sim nos outros dois terminais, Santa Maria e Gama.
Em Santa Maria, por exemplo, há muito tempo não se tem organização. Depois da mudança do sistema para o de integração, com o fim das linhas nas primeiras horas do dia para as Asas Sul e Norte a partir da cidade, a bagunça tomou dimensões imensuráveis, uma vez que passageiros que desejam ir para o Plano Piloto de modo geral, tem que embarcar pelo BRT. Mais de 10 mil passageiros usam diariamente o transporte a partir do terminal. Com isso, na ânsia de chegar ao trabalho com maior rapidez e por não haver fiscalização, vários passageiros, desrespeitam as filas e se aglomeram na porta dos coletivos. Assim, ao invés de ganhar tempo, muitos acabam por chegar atrasados ao seu local de trabalho.
Outros fatos também complicam a vida de muitos passageiros desinformados. A venda de cartões e cadastro de novos usuários, só podem ser feitos na rodoviária do Plano Piloto. Com isso, só tem condições de embarque em direção a área central de Brasília, aqueles que possuem o cartão passagem e os demais acabam por se aventurar em transporte pirata.
“Aqui eles não vendem cartões e se quisermos ir para o Plano, temos que primeiramente usar o transporte pirata para poder cadastrar ou comprar um cartão lá na rodoviária do Plano Piloto”, disse a diarista Maria de Fatima Sousa.
Em contado com o DFTrans, a informação é de que o sistema está em perfeitas condições e não há projeto de mudança no sistema. Enquanto isso, os passageiros sofrem pela falta de organização da equipe que administra o BRT no Distrito Federal.

Os organizadores do manifesto colocaram uma página de internet para coleta de assinaturas afim de cobrarem melhorias do governo de Brasília. O endereço é https://www.change.org/p/precisamos-de-filas-nos-terminais-do-brt/c/371786542.


Fonte -Agência Satélite
Leia também em www.agenciasatelite.com.br

Postar um comentário

0 Comentários