Ameaças de ataques ao Brasil












No perfil apresentado nessa reportagem, são postados vídeos de decapitações, espancamentos e ataques a bomba. Com legendas em português os terroristas tentam fazer com que pessoas de baixa renda entrem para o grupo com a desculpa da exclusão social. Como no Brasil não existe radicalismo contra religiões, o EI tenta coptar pessoas revoltadas com desigualdade social. 

Os perfis são excluídos e recriados a todo momento e as postagens ocorrem a cada 3 ou 4 horas. Na quinta-feira (21) a Polícia Federal prendeu dez pessoas em dez estados acusadas de organizar ataques para serem executados durante os jogos olímpicos. A ação da PF repercutiu no mundo por prender a primeira célula terrorista do EI na América do Sul. 

O EI orienta jihadistas estrangeiros e brasileiros a comprarem armas na tríplice fronteira com o Paraguai e em favelas cariocas. Durante os jogos, a segurança será reforçada em Brasília com homens da Polícia Militar, Polícia Civil, bombeiros, Exército, Marinha e Aeronáutica. 

Baterias antiaéreas vão ficar de prontidão para repelir ataques pelo ar e um esquema de segurança foi criado para derrubar drones. Segundo o juiz federal Marcos Josegrei da Silva, o grupo detido pela Polícia Federal era composto por homens entre 20 e 40 anos. 

Embora nascidos no Brasil, todos os detidos usavam apelidos inspirados em nomes árabes. As autoridades, entretanto, não forneceram detalhes sobre o perfil e as motivações dos suspeitos. 

Reportagem: Renato Souza. Foto: reprodução/Twitter/BBC


Fonte - Renato Souza

Postar um comentário

0 Comentários