Terceirizados de escolas e hospitais do DF entram em greve para cobrar pagamento

Merendeiras estão sem 13º e férias e funcionários da limpeza estão sem salário. Sindicato diz que greve continua até que a situação seja resolvida.

Por G1 DF
Terceirizados de limpeza e merenda, de escolas e hospitais do DF, erguem cartazes anunciando greve (Foto: Sindiserviços/Divulgação)

Cobrando pagamento atrasado, funcionários terceirizados de limpeza e merenda em escolas e hospitais públicos do DF paralisaram as atividades nesta segunda-feira (9). De acordo com o Sindiserviços, que representa a categoria, 30% dos serviços serão mantidos, em áreas prioritárias.

O sidicato informou ainda que os funcionários só retornarão aos postos de trabalho quando as pendências forem regularizadas. O G1 procurou as secretarias de Saúde e Educação, mas não teve resposta até a publicação desta reportagem.

De acordo com o sindicato, as merendeiras cobram o pagamento do 13º salário e de algumas férias em atraso. Já os trabalhadores da limpeza cobram o salário do mês, que deveria ter sido pago na última sexta (6), e tíquetes.
Grupo de trabalhadores de hospitais e escolas públicas do DF reunidos em ato (Foto: Sindiserviços/Divulgação)

O salário das merendeiras é de R$ 1.077 e cerca de 650 trabalhadoras entraram em greve nesta manhã. Já os trabalhadores de serviços gerais ganham R$ 1.052. Ao todo, são 3,5 mil trabalhadores em escolas e outros 3,5 mil em hospitais.

A greve afeta os serviços nos hospitais públicos de Planaltina, Sobradinho, Brazlândia, Paranoá, Taguatinga e Guará. Escolas de Planaltina, Sobradinho, São Sebastião, Paranoá, Plano Piloto, Lago Sul, Lago Norte, Estrutural, Recanto das Emas, Riacho Fundo I e II, Candangolândia, Santa Maria também estão com serviços comprometidos.


Fonte - G1/Distrito Federal

Postar um comentário

0 Comentários