Rollemberg mostra quem manda!

Governador não sede a pressões e matem estrutura técnico-administrativa que na sua grande maioria é formada por moradores da cidade.


Os episódios políticos envolvendo o comando administrativo de Santa Maria, nas últimas semanas, terminaram não muito bem para os postulantes ao cargo de “padrinhos políticos” que almejavam tomar conta da cidade. Isso porque o governador Rodrigo Rollemberg colocou ordem na casa e confirmou que além do administrador Hugo Gutemberg, todo o corpo administrativo continuará trabalhando na administração local.

Tudo começou quando um grupo de “lideranças” iludidas por um deputado distrital que há muito tempo almeja ter a cidade sob o seu comando, tentaram de todas as formas entregarem a cidade para essa pessoa alheia aos interesses de Santa Maria. Esses mesmos “líderes”, há tempos reivindicam que a cidade tem que ser administrada por moradores, mas, pasmem! Estão mudando o discurso e querendo entregar Santa Maria em mãos estranhas, voltando ao passado aonde essa era tida como um curral eleitoral de muitos “politiqueiros”.

Na tentativa de convencer os tais “líderes” e comandar a cidade, o tal deputado sugeriu a exoneração de todo o quadro de comissionados, entre os quais, mais de 70% formado por moradores, (diga-se de passagem, nenhum desses com ligação político-partidária) e a nomeação desses tais “líderes”, bem como pessoas de suas indicações. Todavia, na sugestão apresentada pelo parlamentar, existia a nomeação de outras pessoas e, que sequer colocaram os pés na cidade. Entre os nomes a serem exonerados estavam o do administrador Hugo Gutemberg.

O movimento foi encabeçado pelo grupo de “lideranças”, sequer teve seus nomes ou de parentes mencionados na tal lista de sugestão de nomeação, ou seja, “tomaram um rodo”. Mas, assim mesmo insistem em “puxar saco” do tal parlamentar.

Com isto, fica a pergunta que não quer calar: Qual será o preço de tamanha fidelidade? Pois pelo que se sabe, nenhum desses tais “líderes” atua de forma gratuita. Em muitas de suas “supostas reivindicações” até o momento, existem interesses incalculáveis e nocivos, que em longo prazo custará caro ao desenvolvimento local.

A audácia dos supostos “defensores de Santa Maria” em denegrir a imagem da atual gestão administrativa envolveu até mesmo a invasão de intimidade e exposição da privacidade do administrador Hugo Gutemberg com falácias e mentiras. Tentaram de todas as formas persuadir familiares e amigos na iminência de conseguir encontrar qualquer ato censurável do administrador a fim de enfraquece-lo junto ao governo. Resultado! Nada encontraram. “Isso entristece agente, pois acreditamos na seriedade das pessoas e no comprometimento com o que é certo. Daí nos deparamos com essas situações que mexem conosco, mas, temos que ser fortes e mostrar que somos técnicos e profissionais o suficiente para cumprir o nosso compromisso de proporcionar o bem estar coletivo e o desenvolvimento que a cidade precisa”, desabafou Gutemberg.

Após a intervenção de membros do Executivo na cidade para apoiar as peripécias do tal grupo de “líderes”, o governador Rodrigo Rollemberg interviu mais uma vez em favor de Santa Maria e bateu o martelo, colocando um fim, mesmo que momentaneamente, nas pretensões dos que se julgam no direito de decidir unilateralmente em relação à cidade.

A tal edição do Diário Oficial com as exonerações não saiu, bem como será publicada em breve, outra confirmando os nomes já existentes e, segundo fontes, a lista será engrossada por outros nomes de peso e representatividade na cidade.

Procurado para comentar o assunto, o administrador Hugo Gutemberg informou desconhecer do assunto, mas, deixou escapar que o governador está intensificando atuações na cidade de forma a resguardar o direito da maioria, ou seja, “Em time que se ganha não se mexe”.

A situação política da cidade é tão emblemática se não fosse cômica, que recentemente surgiram nas redes sociais comentários de que algumas pessoas queriam tomar a cadeira ocupada por Gutemberg. Em resposta, num tom de brincadeira, o administrador informou que “a cadeira está à disposição, pois, por ser técnico e operacional, trabalha na rua e não tem tempo para ficar sentado”. Mais tarde, falando com seriedade, informou que o cargo pertence ao governador e está no posto por determinação do chefe do Executivo, bem como, na qualidade de bom soldado, está à disposição para cumprir as determinações do governo sem fazer qualquer contestação. “Sou funcionário de carreira e acredito que, por sempre atuar tecnicamente e receber boas recomendações, recebi o convite para ocupar e continuar no cargo, mas, tudo é passageiro e assim que o governador precisar do cargo, vou entrega-lo. É simples assim”, disse.


Hugo conquistou o respeito e admiração da comunidade por suas atuações na condução da vida administrativa da cidade. Recentemente foi o responsável pela volta da tradicional festa de aniversário da cidade, a Fassanta, aonde reuniu nos quatro dias de festa um público médio estimado em dez mil pessoas por dia de evento e nenhum incidente. Além de que o evento não custou 10% dos valores antigos, aonde se gastavam milhares de reais e não tinha a resposta que a comunidade esperava. Mesmo assim, atualmente apareceram algumas poucas “lideranças de diploma e café da manha” que levantaram suspeitas com relação ao evento. Sendo caladas com a condução transparente do certame. “Administrar não é difícil, o difícil é entender as pessoas que nem mesmo, conseguem se entender”, disse Gutemberg. Ao falar isso, entendeu-se que em festanças anteriores, com gastos absurdos, essas mesmas “lideranças” se faziam presentes, pousavam para fotos ao lado das autoridades e ainda saiam falando bem dos gestores, sem sequer fazer perguntas sobre a prestação e contas. Ao final, surgiam incalculáveis desvios de recursos e ingerência e o que faziam esses pseudos “líderes”? Calavam-se.


Fonte - Agência Satélite

Postar um comentário

0 Comentários