VÍDEO: JORNALISTA É AGREDIDA DURANTE REPORTAGEM

Por: O Democrata 

A jornalista Ticiane Bicelli, da TV Aratu, afiliada do SBT, foi agredida na sexta-feira (16/6) por uma mulher enquanto fazia reportagem no Mercado do Peixe da feira de São Joaquim, em Salvador. O cinegrafista que acompanhava a vítima também foi alvo de tapas, socos, pontapés e arranhões.

Nem mesmo o equipamento de reportagem escapou dos golpes. O microfone e uma parte da câmera ficaram quebrados. Apesar dos danos, o equipamento registrou a confusão.

A equipe fazia reportagem sobre a cobrança diferenciada pelo uso dos banheiros do local, onde havia um cartaz que indicava os preços de R$ 0,50 para “número um” (urinar) e R$ 1 para “número dois” (defecar). Ticiane se aproxima da agressora e a questiona sobre a disparidade dos valores. Nesse momento, a mulher se exalta e ataca a jornalista.

A jornalista revidou os golpes. Comerciantes tiveram de intervir para separar as mulheres. Ticiane precisou ficar em um boxe da feira até a chegada da polícia militar. Na sequência, elas foram encaminhadas à Central de Flagrantes da 3ª Delegacia do Bonfim, onde prestaram depoimento antes de serem liberadas. A jornalista passou por exame de corpo de delito.



O portal de notícias Tribuna da Bahia publicou uma nota do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (Sinjorba), que repudia a agressão sofrida pela repórter.

Leia a íntegra:

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia protesta e repudia agressão sofrida por equipe da TV Aratu, formada pela jornalista Ticiane Bicelli e pelo cinegrafista Liberato Santana, quando produziam matéria jornalística sobre cobrança do uso de banheiros no Mercado do Peixe, na Cidade Baixa.

Os profissionais foram agredidos física e verbalmente por uma mulher de identidade não informada e que, supostamente, é responsável pela cobrança.

O equipamento utilizado pelo cinegrafista foi quebrado e os profissionais registraram queixa em delegacia. Essa agressão a integrantes da imprensa é um grave sintoma da violência que permeia a sociedade por atingir pessoas que são responsáveis por dar voz aos problemas desta mesma sociedade.

O Sinjorba solicita o imprescindível apoio da Secretaria de Segurança Pública da Bahia para que a acusada seja identificada e julgada na forma da Lei.

Salvador, 16/06/2017 | Marjorie da Silva Moura – Presidente do Sinjorba”

Fonte - O Democrata

Postar um comentário

0 Comentários