Ônibus velho no lugar de ônibus velho



Empresa paulista substituirá Mais X em Novo Gama, com frota já usada em outras cidades, ou seja, mesmo dilema de ônibus velhos.

Cinco empresas se interessaram pelas linhas disponíveis em Novo Gama e Pedregal e Lago Azul, sendo elas: Auto Viação Vitória Ltda.-ME, Coutinho & Ferreira Serviços e Transporte Ltda., Planalto Transportadora Turística Ltda., ME (JK Turismo), Maximus Transporte e Turismo Ltda. e VAZTUR – Vaz Transportes e Turismo Ltda.

Ao todo serão 32 veículos “em condições de uso”, segundo a ANTT que deverá iniciar operação em Novo Gama. A empresa substituirá a Mais X, que substituiu a Grande Brasília, ambas perderam o posto por usarem veículos ultrapassados. Agora o órgão credencia outra empresa, com os mesmos moldes, para atuar de forma precária até o final de 2018 ou a conclusão do processo de licitação, sem previsão para acontecer.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) publicou no Diário Oficial da União, autorização para que a empresa A Coutinho & Ferreira Serviços e Transporte Ltda., empresa fundada em 2007, faça as linhas a partir do Bairro Pedregal e Centro de Novo Gama em direção a Brasília. Ela foi a vencedora do Chamamento Público nº 001/2017 e deverá começar a operar em no máximo noventa dias.

De acordo com a ANTT, a Coutinho venceu o chamamento
público por cumprir com a documentação exigida no edital e apresentar a frota com menor idade média. De acordo com legislação, para esse tipo de serviço a frota tem que ter no máximo quinze anos em algumas capitais, se tratando de municípios essa regra pode ser alterada para vinte anos.

A nova empresa de transporte coletivo substituirá a Mais
X, que há algum tempo está sendo alvo de críticas por apresentar veículos em condições precárias e pelo envolvimento frequente em acidentes, mesmo argumento usado para a substituição da empresa anterior.

A empresa que atende outros municípios, também é alvo de reclamações e ações judiciais. Em uma cidade de São Paulo, sede da empresa, usuários reclamam constantemente do atendimento da empresa que vão desde ônibus sem condições de uso até despreparo de funcionários. “...Coutinho transporte trabalha com ônibus velhos, motoristas sem treinamentos e o atendimento e suporte é péssimo!!!”. Em outro momento, usuários relatam das condições de um ônibus em uma das viagens. “...A porta não abria pelo comando, abriu manual, OK tudo bem, não fechar já é demais, veio fazendo um baita barulho de três horas, ficava meio aberta, travada pelo botão de emergência, que perigo, havia crianças no passeio e outra cadê a segurança????”

De acordo com levantamentos a empresa possui 35 processos até então. Com 34 processos no Estado de São Paulo, além de um processo no Distrito Federal. Com a “nova” empresa as coisas tendem a ser diferente, pelo menos é o que afirma o governo municipal. Ao falar sobre a troca de empresas, a Prefeitura garantiu, há época, que seria por outra que tivesse melhores condições de atendimento a população. Ver para crer!



Fonte - Agência Satélite

Postar um comentário

0 Comentários