Sessão Solene para os 28 anos de Santa Maria


A criação de Santa Maria aconteceu por meio do decreto nº. 14.604. Atualmente, tem quase 97% de asfalto, iluminação pública, água encanada e esgoto tratado.

Uma sessão realizada na noite da última terça-feira (20), no Colégio Santa Maria, comemorou o 28° Aniversário de Santa Maria, uma das cidades criadas no governo Joaquim Roriz à época dos programas de assentamento para erradicação das favelas no Distrito Federal. O auditório do colégio contou com a presença de lideranças comunitárias, do administrador Hugo Gutemberg, servidores e do deputado distrital Robério Negreiros (PSDB).
Compuseram a mesa, além do deputado distrital e do administrador da cidade, o jurista Paulo Roberto dos Santos, o comandante da 26º Batalhão - Major Alexandro Paulo da Silva, o coordenador da Regional de Ensino de Santa Maria - Claudiney Formiga, o diretor administrativo do HRSM - Higor Silveira e a Irmã Marinei - representante da Instituição Vila das Meninas.
Robério que propôs a sessão e presidiu a solenidade falou do avanço significativo que a cidade teve no governo atual no tocante à qualidade de vida dos moradores, através do empenho e dedicação, tanto do poder Legislativo, quanto do Executivo na solução dos problemas enfrentados pela comunidade. Ele ainda explanou sobre o seu trabalho na cidade e evidenciou as obras que vem sendo executadas por emendas de sua indicação. "Venho hoje aqui para confirmar minha posição de deputado distrital empenhado em trabalhar pela melhoria da qualidade de vida desta cidade, aonde durante o nosso mandato nos empenhamos ao máximo para garantir a melhoria da qualidade de vida dos moradores por meio de emendas parlamentares que vieram de encontro às necessidades enfrentadas por todos", frisou Negreiros. "Esta homenagem é uma forma de parceria em favor dos moradores dessa cidade que faz parte de nossa vida pública. Através da união, todos que vivem aqui só têm a ganhar", acrescentou o deputado.
Hugo Gutemberg lembrou sua relação com a cidade:  "Santa Maria tem um valor sentimental na minha trajetória pessoal. Sou filho da cidade e tenho a obrigação de ajudar escrever mais uma página positiva da sua história.
Lideranças comunitárias locais também aproveitaram a sessão para expor suas opiniões em relação as demandas da cidade, elogiando e cobrando soluções para determinadas situações, bem como, apontando falhas da atual gestão administrava. Entre as lideranças, falou o jurista Paulo Roberto dos Santos, que fez parte das autoridades que compuseram à mesa. Além dele pronunciaram Jorge Alexandre, Alã de Brito, Alzira Folha e o presidente da ANALC - Ilso Firmino Neto.
Outras lideranças que tiveram a oportunidade da oratória, aproveitaram para reivindicar melhorias para a cidade. Apesar do momento ser de comemoração, as oratórias desses serviram para chamar a atenção de que “nem tudo na cidade é motivo de comemoração”, tendo em vista que muitas coisas necessitam melhorar, principalmente a relação entre algumas lideranças e o poder público local, principal reivindicação.
Houveram ainda apresentação de balé e capoeira, coral com as alunas da Vila das Meninas e ainda o cordelista Kennyo Alencar, que recitou um cordel em homenagem ao aniversário da cidade. Para fechar as apresentações, um grupo de jovens cantou a música de Janeiro a janeiro para o público de aproximadamente 120 pessoas que compareceram à solenidade.
Esta foi a primeira vez em que não houve entrega de honrarias a lideranças comunitárias e pioneiros da cidade ao contrário de outras vezes. Na solenidade de último dia 20, aconteceram apenas pronunciamento de autoridades e apresentações culturais e musicais de instituições locais. Ainda, contrariando algumas lideranças, foi a primeira vez que a solenidade aconteceu fora de um espaço público local. “Não concordei com a realização de uma sessão solene em homenagem a cidade em uma escola particular, sendo que temos vários outros locais públicos apropriados para a realização de um evento dessa natureza aqui na cidade”, disse o líder comunitário, Francisco de Assis Fonseca.
O ponto positivo na última sessão foi o número de inscritos e suas reivindicações. “Nas demais perdíamos muitas horas somente com pronunciamentos desnecessários e sem rumo. Desta vez, a quantidade de inscritos diminuiu significamente e o conteúdo das oratórias serviu para transmitir o recado aos convidados. Nesse quesito foi melhor do que as dos últimos anos”, disse uma liderança.
Após o encerramento da sessão, houve a confraternização com o corte do bolo que continha a estampa da bandeira da cidade e um coffe break oferecido pela organização do evento.


Fonte - Agência Satélite

Postar um comentário

0 Comentários