Equipe de hospital público do DF leva paciente de UTI para passear após 3 meses de internação

Motorista de táxi, de 47 anos, tomou sol e acompanhou pouso de helicóptero. Servidores do Hospital de Base planejaram saída durante mais de um mês.

Por G1 DF

Taxista José Eloi Diniz, internado na UTI do Hospital de Base há 95 dias, sai para passeio acompanhado pela equipe médica — Foto: Lúcio Távora/IGESDF
Depois de passar mais de três meses em um leito de UTI, o taxista José Eloi Diniz, de 47 anos, teve uma surpresa na tarde desta quarta-feira (20). No horário de visita, ao invés de receber os parentes, ele foi levado pela equipe médica do Hospital de Base de Brasília para um passeio.

O trajeto foi curto. José percorreu, de maca, a área externa do prédio. Durante 40 minutos, viu as plantas, as pessoas e o pouso de um helicóptero do Corpo de Bombeiros.

A saída dele foi planejada durante mais de um mês. Internado há 95 dias, o motorista de táxi é o paciente mais antigo da unidade de terapia intensiva do hospital público.

Ele sofreu um infarto em dezembro do ano passado e ainda teve quatro paradas cardíacas. Apesar de não conseguir falar, José sorriu quase o tempo todo.

Equipe médica leva paciente para passear na área externa do Hospital de Base — Foto: Lúcio Távora/IGESDF
O passeio foi uma surpresa também para a família de José. A esposa dele, Alacides Sousa, mal conseguia esconder a emoção.

"Quando cheguei, a equipe disse que eu teria fortes emoções. Meu coração disparou."
O irmão de José, Antônio Eloi, disse que depois de ver o irmão passear, voltaria aliviado para casa. "Em alguns dias, vamos embora preocupados, mas hoje, estamos satisfeitos. Após mais de 90 dias sem ver uma paisagem, ter outra visão é importante", afirmou.

UTI humanizada

José Eloi Diniz, de 47 anos, foi levado para um passeio na área externa do Hospital de Base — Foto: Lúcio Távora/IGESDF
A iniciativa de levar o paciente para um passeio faz parte de uma proposta do hospital para humanizar a UTI. Na unidade de saúde, os funcionários consideram José "uma lenda", já que sobreviveu a diversas paradas cardíacas ao longo da internação.

"Sabemos que é uma pessoa que tem vontades, gostos e preferências", diz o psicólogo da UTI, Wesley Ponte.
A fisioterapeuta Cássia Dalbosco também reconhece a gravidade do quadro de saúde do motorista, mas se mostra favorável à saída da unidade. "Sabemos que tanto tempo internado repercute em vários aspectos, inclusive emocionais, que interferem diretamente na melhora", afirma.

"Temos que trabalhar com a realidade, então, o máximo que podemos trazer de humanização, fazemos."

Até esta quinta-feira (21), José Eloi seguia sem previsão de alta médica. Segundo a direção do Hospital de Base, também não há um novo passeio marcado para ele ou para outros pacientes.


"Para que o passeio aconteça, é necessário avaliar antes o quadro de saúde da pessoa internada, além do estado psicológico da família", informou o hospital que considerou "extremamente positiva" a experiência.

Hospital de Base

O Hospital de Base é administrado pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IGESDF). Ao todo, são 68 leitos de UTI em funcionamento. Na unidade cardíaca, onde José está internado, são oito vagas.


Fonte - G1/DF

Postar um comentário

0 Comentários