Adiada mais uma vez a pavimentação da VC-371



Pela segunda vez, a licitação da obra de pavimentação da Vicinal 371, que liga a BR 040 à DF 290, passando pelo condomínio Total Ville, foi prorrogada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER). A publicação informando o novo prazo saiu no Diário Oficial do DF da última terça-feira (10). Agora as empresas têm até o dia 13 de abril para entregar a documentação.
Segundo o diretor geral do DER, Fauzi Nacfur, a modificação se deu devido à necessidade de ajustes.  "Tivemos que fazer alguns ajustes no projeto, pois, do contrário iriamos ter problemas na hora da execução, o que poderia parar a obra. Então entendemos que era melhor fazê-los e prorrogar o início da obra para não causar transtornos ainda maiores no futuro", explicou.
Em 2018, obras paliativas no local chegaram a ser iniciadas, mas foram embargadas por não possuir o licenciamento do Ibram. Nesse sentido, Fauzi também deu uma excelente notícia sobre o andamento do processo. Ele informou que o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) já emitiu a licença ambiental autorizando a execução da obra. "A licença do Ibram não era impeditiva para o andamento da licitação, mas com a licença em mãos teremos total segurança de que não sofreremos embargo quando as obras tiverem início", comemorou.
Todavia, a notícia não foi bem aceita pela população, especialmente os moradores do Total Ville, que há mais de oito anos sofrem com o descaso e que tinham com certo o início das obras e o fim dos transtornos causados pelas más condições da via que liga o bairro à Santa Maria.
Para Patricia Baraúna, moradora do bairro, classificou a decisão como “um absurdo”. Segundo ela os moradores do Total Ville precisam usar a vicinal, mas nas condições que a via se encontra, é completamente impossível. “Uma estrada de terra, lama, cheia de buracos que estragam os carros. Quem está adiando essa obra não faz ideia da real situação de calamidade enfrentada por quem precisa utilizar essa via. Só falam em impactos ambientais e blá blá blá. Ora, toda obra gera impacto ambiental, olha a quantidade de obras muito maiores e que já foram feitas e aprovadas. Certamente se algum morador que precisa passar por lá, fizesse parte do órgão que está a embargando, já teriam liberado essa licitação há tempos, mas como não são eles que precisam, não se interessam pela celeridade da obra. Se fosse uma estrada de 50 km, até poderíamos entender a demora, mas toda essa burocracia por um trecho pequeno de aproximadamente 3 km. Lamentável”, desabafou.
Ainda, de acordo com informações, a justificativa de alterações no Termo de Referência poderá implicar no valor e projeto, e poderá elevar o seu custo.
Apesar de todos os contratempos a comunidade irá aguardar a obra iniciar na próxima data prevista na esperança de que dessa vez as coisas “andem” e definitivamente o tormento acabe.

Fonte - Agencia Satélite com informações do SantaOnline e Radar Santa Maria

Postar um comentário

0 Comentários