Sem alternativas, comerciantes de Santa Maria passam a atender pelas grades



Sem alternativas e muito aflitos em relação ao pagamento das contas do fim do mês, os comerciantes de Santa Maria começam a abrir seus estabelecimentos com atendimento restrito, através das grades.
Essa cena está virando um crescente nas avenidas comerciais, visto que a população empresarial encontra-se angustiada e ansiosa com os rumos da pandemia. Para piorar, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, prorrogou o prazo do isolamento até o dia 3 de maio. De acordo com comerciantes, esse prazo foi exagerado. "Não precisa fechar todas as empresas por tanto tempo, bastava manter fechados apenas os estabelecimentos que aglomeram pessoas, bem como reforçar a solicitação para que os empresários que estiverem de portas abertas reforcem a higienização", disse um empresário local. 
Outros empresários apelaram para o atendimento via whatsapp. Assim, a pessoa faz o pedido e vai até a loja para retirar o produto ou, em alguns casos, recebe em casa, pelo serviço conhecido por delivery.
Para piorar, muitos empresários estão preocupados com o pagamento dos seus aluguéis, visto que proprietários dos imóveis demonstram pouca flexibilidade ou ausência dela em relação ao pagamento mensal. Nesse sentido o governo também não apontou nenhuma solução.
No decreto publicado no dia 1 de abril não fala nada sobre a possibilidade de atender nesse formato, porém, entre o risco e a angustia, os empresários estão se arriscando.


Fonte - SantaOnline com adaptações JSN



Postar um comentário

0 Comentários