Page Nav

HIDE

Últimas notícias:

latest

Ads Place


Suspeito de estupros, técnico de vôlei é flagrado dormindo com dois jogadores adolescentes em Manaus

Segundo a polícia, ele é suspeito de abusar sexualmente dos jogadores com idades entre 15 e 17 anos. Ele foi preso durante Operação Bloqueio nesta terça (14). Defesa do técnico disse que vai se pronunciar após ter acesso aos autos.

Por g1 AM


O técnico da seleção amazonense de vôlei sub 16, Walhederson Brandão Barbosa, 40 anos, foi preso em Manaus, na manhã desta terça-feira (14). A Polícia Civil do Amazonas informou que o flagrou dormindo na cama dele com dois jogadores de 15 anos.

A defesa do técnico informou à Rede Amazônica que não teve acesso aos autos e vai se pronunciar após ter ciência das acusações.

A Operação Bloqueio, que resultou na prisão de Walhederson, ocorreu no início da manhã desta terça. Policiais civis da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e Adolescente (Depca) prenderam o técnico de vôlei casa dele, na Vila da Prata, na Zona Oeste.


Preso técnico de seleção de vôlei sub-16 do Amazonas, suspeito de estupro e exploração sexual de adolescentes

O técnico é suspeito de abusar sexualmente dos jogadores, que têm de 15 a 17 anos, segundo a polícia.

Em nota, a Federação Amazonense de Voleibol repudiou o caso, e disse que está à disposição das autoridades, para prestar esclarecimentos (leia detalhes abaixo).

Jogadores moram com técnico

Segundo a polícia, seis adolescentes estão morando com o técnico. Até agora, cinco vítimas prestaram depoimento à Polícia Civil. Elas afirmaram que, em troca de vaga no time, precisavam fazer sexo com o suspeito.

Quando os investigadores entraram na casa de Walhederson, encontraram dois adolescentes de 15 anos dormindo com ele na cama. Ainda segundo a polícia, o técnico da seleção amazonense filmava os estupros.

"Ele praticava atos sexuais com os adolescentes com a promessa de torná-los atletas profissionais em times de prestígio", afirmou a Polícia Civil.

A Justiça decretou a prisão temporária dele por 30 dias. Walhederson deve responder por favorecimento à prostituição e exploração sexual dos próprios alunos.

O que diz a Federação de Vôlei

Em nota, a Federação Amazonense de Voleibol informou que a instituição não tolera qualquer tipo de assédio e o técnico foi suspenso:

"Seus profissionais devem ter, além da competência que o cargo exige, compromisso com a conduta pessoal. Enquanto as autoridades tomam as devidas providências, a FAV opta por suspender o referido técnico de todas as atividades oficiais desta federação, bem como suspender por tempo indeterminado o registro Nacional de treinador no Sistema Nacional de Registro", diz a nota.

A entidade afirmou que não recebeu registros que indicassem a ocorrência dos casos registrados pela Polícia Civil.

"A Federação Amazonense de Voleibol em nenhum momento, em busca de qualquer atitude nociva de treinador, encontrou qualquer tipo de ocorrência que nos levasse ao conhecimento das atitudes repugnantes do envolvido", diz a instituição.

Também em nota, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) disse que determinou à Federação Amazonense de Voleibol o afastamento imediato de Walhederson Brandão Barbosa das funções, e que suspendeu o registro dele na entidade. "Não podendo ele atuar ou participar de nenhuma competição oficial de voleibol até que os fatos sejam devidamente apurados", disse, em nota.

A CBV também afirmou que repudia qualquer tipo de assédio. "Trabalha de forma incessante por um ambiente pautado pela ética e pelo respeito, e livre de qualquer tipo de violência ou preconceito", finalizou.

Nenhum comentário




Latest Articles