Chefe da Casa Civil do DF, Helio Doyle anuncia saída do governo

Homem forte do governo, ele disse ter se tornado 'alvo' de opositores. 'Quem aposta no fracasso do GDF vai quebrar a cara', afirmou.

Hélio Doyle durante entrevista em que anunciou sua saída do cargo de chefe da Casa Civil do DF (Foto: Mateus Rodrigues/G1)

Eu quero contribuir para o sucesso e a forma que tenho é retirar o alvo. A forma que tenho para colaborar é me retirando. Já comuniquei ao governador que estou me demitindo e vou continuar colaborando. O governador sabe o que tem que fazer, é uma pessoa honesta, tem os melhores propósitos. Pode errar, como todos erramos. Pode cometer erros, como todos nós cometemos"
Hélio Doyle, que anunciou saída do cargo de chefe da Casa Civil do DF

O chefe da Casa Civil do Distrito Federal, Hélio Doyle, anunciou demissão do cargo nesta quarta-feira (10) em entrevista coletiva no Palácio do Buriti. Ele disse ter se tornado “o alvo das críticas” de opositores, setores da imprensa e de parlamentares distritais e federais. Doyle disse que já tinha comunicado a decisão ao governador Rodrigo Rollemberg e afirmou que a renúncia é “irreversível”. O substituto dele não foi anunciado.

“Eu quero contribuir para o sucesso e a forma que tenho é retirar o alvo. A forma que tenho para colaborar é me retirando. Já comuniquei ao governador que estou me demitindo e vou continuar colaborando. O governador sabe o que tem que fazer, é uma pessoa honesta, tem os melhores propósitos. Pode errar, como todos erramos. Pode cometer erros, como todos nós cometemos”, declarou.

Durante a saída, o chefe da Casa Civil disse que não se sente derrotado e citou frases de Darcy Ribeiro. “Sou um homem de causas. Vivi sempre pregando, lutando, fogo cruzado, pelas causas que me comovem. Na verdade, somei mais fracassos que vitórias, mas isso não importa. Horrível seria ter ficado ao lado dos que nos venceram nossas batalhas”, disse, ao citar o sociólogo.


O secretário também disse rejeitar qualquer afirmação de que a gestão pública está estagnada. “O governo não está parado, ao contrário do que dizem. Está elaborando projetos com competência, com método. Isso não se faz em cinco meses, especialmente no meio dessa crise”, declarou.Antes do anúncio, Doyle rebateu as críticas aos primeiros meses de Rollemberg no governo e disse que “quem aposta no fracasso do GDF vai quebrar a cara”. O secretário comparou o mandato a uma partida de futebol e disse que “dos 90 minutos de jogo, foram apenas 9 até agora”.



Fonte - G1/DF

Postar um comentário

0 Comentários