Favorita, Lêda Borges diz que só disputa a prefeitura de Valparaíso se for “obrigada”


Deputada eleita e atual secretária de Direitos Humanos avalia que é melhor para a cidade que ela esteja no governo (ou na Assembleia)

Secretária estadual da Mulher, Desenvolvimento Social, Igualdade Racial, Direitos Humanos e Trabalho, Lêda Borges (PSDB) confirmou ao Jornal Opção Online que, no que depender dela, não disputa a Prefeitura de Valparaíso de Goiás em 2016. A ex-prefeita avalia que é mais prolífico para o município que ela permaneça na pasta ou mesmo na Assembleia Legislativa. “É um grande prejuízo para o Entorno do Distrito Federal, a segunda maior região eleitoral do Estado, perder uma representante no primeiro escalão do governo, que define as ações e políticas a serem implementadas”, argumenta.

Contudo, a tucana explica que, como líder política, sua vida pertence “a projetos maiores” que ela mesma: “Sou partidária, amo o PSDB. Sendo assim, seguirei o que o partido e nosso líder maior, o governador Marconi Perillo, entenderem que é mais importante”. De acordo com Lêda, existem dois “nortes” que a guiam: Marconi e o povo de Valparaíso de Goiás — que foi quem lhe deu e também “tirou” oportunidades. “Se a comunidade e o líder maior disserem que sou obrigada a voltar, eu colocarei meus argumentos, mas serei obediente”, completa.

Pesquisas internas a indicam como favorita absoluta para o pleito de 2016 — chegando a ter 60% das intenções de votos dos eleitores, que se arrependem de tê-la tirado da prefeitura. O desgaste da atual mandatária, Lucimar Conceição, ou Lucimar Nascimento, ou Professora Lucimar (PT) — aliados da petista já mudaram seu “nome de guerra” várias vezes tentando (em vão) diminuir a rejeição –, é recorde. Mesmo assim, Lêda resiste às investidas lideradas pelo deputado federal Célio Silveira (PSDB): “O cidadão quer o imediato… Quer dizer, o médico de volta, o exame de volta, a cidade bem cuidada. O sofrimento é imediato e eles enxergam em mim essa esperança”.

A base governista em Valparaíso prepara outros quatro nomes para disputar as eleições do ano que vem: os vereadores Pablo Mossoró (PSDB), Dr. Marcus Vinícius (PT do B) e Afrânio Pimentel (PR), bem como ex-vereador e também ex-secretário de Administração e Finanças do Governo Lêda em 2008, Joaquim do Monte (PSDB). Só que nenhum deles têm, ainda, a capilaridade da ex-prefeita. “Estamos trabalhando e acredito que todos eles têm grandes chances de se viabilizarem”, relatou a tucana. Mas, quando colocam o nome de Lêda na cartela, logo se vê o porquê do governador fazer questão que seja ela a disputar.

Questionada sobre a gestão da prefeita Lucimar Nascimento (PT) — por quem foi derrotada nas eleições de 2012 quando tentava se reeleger –, Lêda Borges afirma que não é ela quem deve fazer tal avaliação. “Sou uma cidadã valparaisense, o que todos estão avaliando é que está muito ruim. Não é só a minha opinião… Ela está com desaprovação de quase 90%. A grande prova foi a minha eleição para deputada com 22.670 votos. Quase 50% do eleitorado da cidade”, destacou.



Fonte: JOrnal Opção

Postar um comentário

0 Comentários