Mortos em batida em GO são velados no DF: 'Soco no estômago', diz prima

Acidente aconteceu no domingo em Caldas Novas; adolescente sobreviveu. Promotora de Justiça morava em Brasília; enterro está previsto para as 16h.

Bicho de pelúcia sobre caixão infantil de família morta em acidente em Caldas Novas (GO), durante velório no DF (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Parentes e amigos da família do Distrito Federal morta em um acidente de carro próximo a Caldas Novas (GO), neste domingo (3), se reuniram em Brasília nesta segunda-feira (4) para o sepultamento das vítimas. Os corpos da promotora de Justiça Marivânia Palmeira, de 46 anos, do marido dela, o advogado Jofre Feres, de 50, e da filha do casal, Isabela Palmeira, de 8, começaram a ser velados às 13h no cemitério Campo da Esperança, da Asa Sul.

"Pensei que era um trote. Como sou jornalista, logo pensei que tinha algo errado e que deveríamos apurar. Minha ficha caiu só quando cheguei para o velório. Eles irão fazer muita falta"
Giullia Chaves,
prima da promotora de Justiça
morta em acidente

O enterro está previsto para as 16h30 desta segunda. Os três caixões foram fechados. A capela foi decorada com flores e fotos do casal e da filha. Sobre a caixão infantil, na cor branca, a família colocou bichos de pelúcia que pertenciam à menina. O velório foi marcado por muito choro e emoção de amigos e familiares.

A prima de Marivânia, Giullia Chaves, disse que a notícia foi um "soco no estômago". Emocionada, a jovem contou que esperava a família voltar de viagem para uma missa de homenagem ao avô, que morreu há pouco mais de um mês.

"Pensei que era um trote. Como sou jornalista, logo pensei que tinha algo errado e que deveríamos apurar. Minha ficha caiu só quando cheguei para o velório. Eles irão fazer muita falta. A Marivânia, por exemplo, sempre fazia trabalhos sociais. Não será apenas amigos e familiares que irão sentir sua falta", disse a prima.

O pai de Giullia foi ao local do acidente para reconhecer os corpos das vítimas. "Ele disse que a cena era deplorável, impossível sair do acidente com vida. A notícia pegou todo mundo de surpresa", afirmou.

'Fatalidade'
O cunhado de Jofre Feres, Roger Opazo, disse lamentar a morte da família. Segundo ele, Jofre era muito prudente no trânsito. "Eu conheço a família há mais de cinco anos, já viajamos juntos. Sei que a morte dos três foi uma fatalidade. Foi por algum motivo que ainda não sabemos", disse.

O cunhado também recordou momentos felizes com a família – o casal era padrinho do filho de Opazo. "Eles eram bondosos, caridosos. A Marivânia fazia um projeto lindo na Cidade Ocidental e o Jofre ajudava. A Belinha, nem se fala. Fazia inglês, ballet, só tirava nota alta, uma menina 10. Os três eram alegria e amor por onde passavam."

Colisão fatal
A batida aconteceu na tarde deste domingo na GO-139 em Caldas Novas, na região sul de Goiás. O carro em que a família estava bateu de frente com um caminhão. Uma adolescente de 15 anos que estava no mesmo veículo sobreviveu e está internada em Goiânia. O motorista do caminhão saiu ileso.

Velório de família morta em acidente em Caldas Novas (GO), em cemitério do DF (Foto: Jéssica Nascimento/G1)

Apesar de atuar na Promotoria de Infância e Juventude de Cidade Ocidental, município goiano do Entorno do DF, Marivânia morava com a família em Brasília. A tia da mulher diz que todos os anos ela tirava uma criança do orfanato para passar as festas de fim de ano.

O acidente aconteceu quando a família voltava para casa. O casal e a criança morreram na hora. Já a adolescente foi socorrida e levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Caldas Novas. Como ela apresentava várias fraturas, foi transferida pelo Corpo de Bombeiros, de helicóptero, para o Hugo, em Goiânia, onde permanecia internada na noite de domingo.

Acidente na GO-139, em Caldas Novas, Goiás (Foto: Reprodução/ TV Anhanguera)



Fonte - G1/DF

Postar um comentário

0 Comentários