Policiais civis fazem assembleia com indicativo de greve nesta terça

RAFAELA FELICCIANO/METRÓPOLES

Categoria luta desde 2015 pela paridade salarial com a Polícia Federal. GDF diz que não tem como bancar reajuste

Após duas paralisações de 24 horas nas últimas semanas, os policiais civis do Distrito Federal se reúnem mais uma vez em assembleia nesta terça-feira (14/11), às 14h, na Praça do Buriti. Convocada pelo Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF), a categoria definirá ações pela manutenção da paridade salarial com a Polícia Federal e novas mobilizações, incluindo um indicativo de greve.

De acordo com a entidade, apesar do baixo efetivo, da falta de condições e da desmotivação por conta da defasagem salarial, os policiais civis deflagraram dezenas de operações nas últimas semanas, fazendo centenas de prisões e resolvendo casos de grande impacto na sociedade.

“E o governo, em um sinal de desrespeito e desvalorização, responde o pleito da categoria dando as costas. Mostrando, assim, que o governador permanecerá sem cumprir a sua palavra”, afirma Rodrigo Franco Gaúcho, presidente do Sinpol-DF.

Corte de ponto
O GDF informou que tem negociado com os policiais civis desde 2015 e ofereceu mais de quatro propostas para atender às reivindicações da categoria, todas recusadas.

Esclareceu, ainda, não ser possível arcar com os reajustes sem uma nova fonte contínua de receitas e ameaçou cortar o ponto dos policiais que faltarem ao serviço. “Será aplicada a Lei Geral de Greve, conforme decisão do Supremo Tribunal Federal, com regras que preveem corte de ponto e de vantagens nos dias de falta dos servidores que participarem de paralisações”, afirmou em nota.


Fonte - Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários